Catarinense morre com suspeita de febre amarela

Mulher morreu após procurar atendimento no Hospital de Gaspar e ser transferida para Blumenau

Por RCN/Jornal Metas 19/01/2018 - 08:18 hs

Catarinense morre com suspeita de febre amarela
Moradora do Poço Grande pode ter contraído a Febre Amarela em recente visita ao interior de SP

Uma moradora de Gaspar faleceu nesta quarta-feira, dia 17, com suspeita de ter contraído febre amarela. Filomena Soares de Campos Silva, de 57 anos, moradora do bairro Poço Grande, recentemente fez uma visita a parentes que moram em Mairiporã, no Estado de São Paulo, onde teria contraído a doença. O estado enfrenta um dos maiores surtos de Febre Amarela da sua história e a orientação da Secretaria Estadual de Saúde é para que todos que visitem a região se previnam com a vacina.

Após retornar de São Paulo, no dia 8 de janeiro, Filomena sentiu os primeiros sinais da doença e, por isso, procurou atendimento no Hospital Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Gaspar. Segundo os familiares, mesmo afirmando que poderia ter contraído a febre amarela, nenhum exame comprobatório foi realizado pelo hospital e a moradora foi liberada após ser medicada. "O filho dela e a nora estavam com virose e acreditavam que ela também poderia estar. No hospital, medicaram ela apenas para febre e enjoo e já deram alta. Disseram que não era necessário realizar o exame para detectar a febre amarela", contou um familiar que preferiu não se identificar.

Com o agravamento do seu quadro de saúde no dia seguinte, a paciente foi novamente levada ao hospital de Gaspar, mas nenhum procedimento diferente foi feito, como por exemplo solicitar o exame que poderia confirmar se ela estava ou não com a doença. A família decidiu então levá-la para uma consulta médica particular, quando então foi realizado um exame. O resultado indicou fortes alterações hepáticas. A paciente retornou ao hospital de Gaspar onde foi internada no sábado (13).

Com o a piora do quadro clinico de Filomena, o hospital de Gaspar decidiu pela sua transferência para o Hospital Santa Isabel, em Blumenau, onde ela faleceu no dia seguinte. Ainda de acordo com a família, o hospital de Gaspar colheu sangue da paciente para a realização do exame de Febre Amarela somente no dia 16, quando ocorreu a transferência para Blumenau, ou seja, oito dias depois do primeiro atendimento no hospital de Gaspar. 

Febre Amarela

São Paulo está na lista de áreas de risco de transmissão de febre amarela. Devido a este novo surto, a recomendação é que todos que visitem o estado se vacinem contra a doença. Até o momento, São Paulo já registrou mais de 40 casos da doença.

A febre amarela é uma doença transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti (o mesmo transmissor da dengue) e se não tratada adequadamente pode levar a morte. Apesar de fatal, os sinais são comuns e podem ser confundidas com outras doenças: dor de cabeça, dor muscular, febre alta, calafrios, cansaço, náuseas e vômitos. A doença pode levar à insuficiência hepática e renal, além de hemorragias e outras complicações.

Velório

O corpo de Filomena, que era casada com José Carlos Pereira e tinha três filhos, está sendo velado na Capela Mortuária Bom Pastor, no bairro Santa Terezinha. Os familiares comunicaram que haverá celebração de corpo presente nesta quinta (18), às 16h30min, antes do corpo seguir para Blumenau, onde será cremado.

Nota oficial

Na manhã desta quinta-feira (18), a Prefeitura de Gaspar, por meio da Secretaria Municipal de Saúde e Diretoria de Vigilância em Saúde, emitiu uma nota oficial em que esclarece o caso de suspeita de febre amarela. Segundo a nota, a paciente, sem registro da vacina, foi internada no Hospital Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, onde foi realizado o processo de investigação de diagnóstico. No dia 16 de janeiro, o hospital notificou a secretaria sobre o caso de suspeita de febre amarela, leptospirose e hepatite da mesma paciente. Com a piora no quadro de saúde, a paciente foi transferida para o Hospital Santa Isabel em Blumenau e veio a óbito na quarta-feira (17).

Ainda de acordo com a nota, ainda não houve a confirmação de diagnóstico de nenhuma das doenças suspeitas, que estão sendo investigadas através de exames pelo Laboratório Central do Estado. O laudo conclusivo é emitido no prazo de 15 dias. A Secretaria de Saúde explica ainda que na investigação do caso foi detectado que a paciente esteve em viagem ao interior do Estado de São Paulo, região onde existe um foco de febre amarela.

A Secretaria de Saúde encerra a nota afirmando que vem tomando todas as providências desde o recebimento da notificação. "Todas as medidas tomadas estão de acordo com o protocolo oficial do Ministério da Saúde e da Vigilância em Epidemiológica do Estado de Santa Catarina. É importante ressaltar que o município de Gaspar não possui foco transmissor da febre amarela".

Leia as últimas notícias de Joinville e região no AJ