Fechamento de escola

Enquanto fecham-se escolas, necessita-se de vagas nos presídios

Por Jacson Carvalho 05/07/2017 - 18:39 hs

matéria de capa do Jornal Nosso Bairro mostra uma realidade que não é só de Joinville, mas de todo o Brasil. Enquanto fecham-se escolas, necessitam cada vez mais de vagas em presídios. 

Vamos contextualizar um pouco, precisaríamos hoje investir pesado em educação para daqui uns 20 anos, quando essa criança se tornar um adulto termos um retorno para sociedade. Um povo mais culto, preparado para encarar suas responsabilidades, respeitar a sociedade e principalmente termos pessoas críticas para fiscalizar e cobrar das autoridades.

O que vemos hoje não é bem assim. Fotografei o desaso, o abandono na então Escola Estadual Elpídio Barbosa, bairro Costa e Silva. No local funcionava uma escola até pouco tempo, foi um local que formou muito alunos ao longo de décadas, agora está abandonado.

A alegação para o fechamento seria a falta de alunos que foram remanejados para outras escolas vizinhas. Fechamento por falta de aluno? Não tem mais gente para estudar? Ou seria uma manobra para reduzir as despesas? Esses alunos que estudavam numa escola estadual na maioria foram para escolas municipais, ou seja, a despesa do município só aumenta enquanto o estado se exime de mais essa responsabilidade, assim como no hospital Municipal São José.

Até agora ninguém sabe ao certo o que será feito com aquele lugar, se vai ser uma base da PM, se será repassado para o município, se é que há interesse. O fato é que, para um órgão público assumir aquele local é necessário reforma, terá que ser feito uma licitação, aí já viu, levam anos para sair do papel, qualquer projeto. 
Enquanto nada é decidido, por que o estado não coloca um vigilante naquele lugar? Não, fica tudo largado, usuários de drogas se aproveitam do local e pronto, vai ficando assim. Aí alguns podem falar, mas se é do estado porque a Polícia não faz rondas. Polícia? Você sabia que há apenas uma viatura para atender o Costa e Silva, Vila Nova e ainda Pirabeiraba? Sim, agora imagina se ainda sobra tempo para a viatura cuidar de um prédio abandonado.

Se não tem dinheiro para investir, poderiam ceder o espaço para órgãos não governamentais. Coloque ali uma sede de associação, uma sede de voluntários, de clube de mães, curso voluntários de dança, complemento escolares, de base para imigrantes haitianos, enfim, não faltam necessidades. Não faltam pessoas querendo um espaço, ou que doem para pessoas que não tem onde morar, mas ficar assim não dá. A comunidade do Costa e Silva está preocupada com o futuro do lugar, que já está sendo ocupada por usuários de drogas. Como dizia a música: “Que país é esse”.