Fugindo do isolamento

Por Prisco Paraiso 01/03/2018 - 17:39 hs

Toda essa movimentação em torno de Esperidião Amin, lançado pré-candidato ao governo do Estado, tem um pano de fundo. Oxigenar o projeto de Gelson Merisio. Lá no frigir dos ovos, muito dificilmente o ex-governador conseguirá sustentar uma quinta tentativa de conquistar o Executivo estadual. Ele deve mesmo ser candidato ao Senado.

Quem controla o PP hoje não são mais Esperidião e Angela Amin. A maior parte da legenda está sob a influência de Silvio Dreveck (agora presidente estadual) e Joares Ponticelli, prefeito de Tubarão.

Ao guindar Amin à condição de pré-candidato, Dreveck, Ponticelli e Merisio colocam na trincheira mais um nome de oposição ao MDB. O líder progressista sabe muito bem que se Merisio afrouxar, o PSD vai parar nos braços do MDB. Gelson Merisio, hoje, é a ponte entre Amin, o PP e o PSD. Se a ponte não ficar firme, o PP rumará novamente ao isolamento em Santa Catarina.

Kleilnübing no DEM

O deputado federal João Paulo Kleinübing já bateu o martelo. Vai assinar ficha no DEM na janela de transferências que abre agora em março, permitindo que deputados estaduais e federais troquem de partido sem o risco de perderem os mandatos. Só falta definir o dia da assinatura.

Majoritária

O Democratas fará um evento já lançando JPK como pré-candidato a governador. Eventualmente, dependendo das composições, Kleinübing poderá disputar o Senado ou mesmo concorrer como candidato a vice-governador. A janela se abre no dia 7 de março, fechando 30 dias depois. JPK ficou sem espaço no PSD para o sonho da eleição majoritária.

Colombo

Não é de hoje que se especula que o governador Raimundo Colombo estaria de saída do PSD. Insatisfação ele demonstra e a recíproca é verdadeira.  O clima na ala majoritária do partido e também junto a aliados não é bom para o líder lageano.  O DEM seria uma alternativa, ainda mais a partir da decisão de Kleinübing. Chegou-se a especular que Colombo poderia até mesmo assinar no MDB, o que é muito pouco provável. Em sua história política, o governador nunca foi muito afeito a grandes guinadas, a cavalos-de-pau. Mudaria agora?

Bronca

Vários comissionados do PSD que estavam no governo estadual já foram demitidos. O que só aumenta a bronca em relação ao MDB.

FRASE

 “Seria uma irresponsabilidade me lançar numa aventura”. Udo Döhler, prefeito de Joinville, referindo-se à possibilidade de renunciar ao mandato sem ter qualquer garantia de que será o nome do MDB ao governo do Estado.

Números

Pesquisa do Instituto Paraná, realizada em São Paulo, maior colégio eleitoral do país, mostra Jair Bolsonaro já à frente de Geraldo Alckmin, governador paulista. Lula da Silva, que não será candidato, ficaria em terceiro. Será que está se formando a “onda Bolsonaro?

Micros e pequenas

Deputado Darci de Matos defendeu, esta semana,  a derrubada do veto aposto pelo presidente Michel Temer à lei que criou o refis para as micros e pequenas empresas. O argumento é bom. “Tem refis para banqueiros e multinacionais, mas o governo vergonhosamente vetou o refis para as micros e pequenas empresas, uma atitude inadmissível porque são responsáveis por 60% dos empregos formais e 30% do PIB”, disparou ele.