A Intervenção somos nós!

Nosso país precisa evoluir, e acredito que tudo o está acontecendo acaba por levantar a poeira para que possamos enxergar melhor a nossa realidade

Por Cris Nogueira 07/06/2018 - 10:41 hs

A palavra intervenção significa o ato de intervir, que por sua vez indica uma ação de mediação ou contribuição complementar ou adversa, mas quando usamos essa palavra somada a outras, o significado muda, como por exemplo: intervenção cirúrgica, que significa o ato de operar alguém, um procedimento cirúrgico; intervenção federal, que ocorre por ordem presidencial e pode ter diversos objetivos, como a manutenção da ordem pública, ocorrida no Rio de Janeiro, mediante apoio complementar do exército junto à Polícia Militar do estado; intervenção artística, que é uma manifestação ou complementação de arte num ambiente, numa roupa, entre outras. Etc. Existem, pois, inúmeras formas de intervenção, algumas são voluntárias, outras, naturais, algumas na base da força e outras na base da paz.

Nos últimos tempos, temos vivenciado uma série de intervenções oriundas de movimentos populares e que provocam mudanças em nossas vidas, na nossa rotina.

 Independentemente de sermos ou não a favor de uma greve, da prisão de um político, a decisão de um juiz ou a paralisação de uma categoria, devemos pensar numa frase de Gandhi que diz:

SEJA  A MUDANÇA QUE VOCÊ QUER NO MUNDO.

Sim, porque normalmente ouvimos, defendemos e bradamos por mudanças, mas não somos partícipes delas.

Sonhar com um país e uma sociedade melhor é importante, mas - como diria Raul Seixas:

Sonho que se sonha só 
É só um sonho que se sonha só 
Mas sonho que se sonha junto é realidade

Temos que ter ações concretas sobre aquilo que sonhamos para que se torne realidade! Somos importantes no processo de mudança e não podemos nos imaginar apenas como grão de areia. Valorize cada ação individual como sendo de caráter coletivo, influencie as pessoas que estão próximas a aderir à melhoria coletiva, em todos os aspectos.

Precisamos entender que é sobre esse sentimento que os mal-intencionados prevalecem. É quando não nos sentimos capazes, quando não refletimos ou não tomamos uma atitude ética diante da vida, como vender o nosso voto por um tanque cheio de combustível, ou por dinheiro, que nos tornamos vítimas de nossas próprias ações. Afinal, terceirizar a responsabilidade das mudanças é não assumir o controle da nossa própria vida.

Reflita, portanto, sobre o que você e sua família merecem e no exemplo que você representa para aqueles que estão ao seu lado.

A única solução, o único caminho para as mudanças que queremos de fato chama-se EDUCAÇÃO!

E Educação não é só o ato de frequentar o ensino fundamental, médio ou uma faculdade, visto que ela começa em casa, na formação de princípios e valores que serão estimulados pelos educadores, que também nos ensinam a analisar situações, construindo o senso crítico necessário para mudarmos o estado de coisas que não nos deixam evoluir.

Nosso país precisa evoluir, e acredito que tudo o está acontecendo acaba por levantar a poeira para que possamos enxergar melhor a nossa realidade. Depois, quando a “poeira” baixar novamente, varra e jogue no lixo! Não deixe que ela o cegue!

Não seja manipulado!

Informe-se!

Reflita!

Aja!