Autocuidado: necessidade ou egoísmo?

É muito comum nós, mulheres, cuidarmos dos outros: filhos, marido, amigas, pai, mãe. Mas e você?

Por Gabriela Modesto 16/10/2018 - 09:46 hs

Estamos em Outubro, e nesse mês acontece a campanha nacional do Outubro Rosa, para nos lembrar de realizar os exames mais importantes para a saúde do corpo da mulher, para a prevenção do câncer de mama e colo de útero.

Isso me trouxe uma reflexão: E nos demais meses do ano, quando ninguém mais falar disso nas mídias, nas empresas ou nas redes sociais, como vou lembrar que preciso cuidar de mim?

A falta de olhar para si mesma é um dos fatores que levam à baixa autoestima, insegurança, e falta de autocuidado.

E quando digo autocuidado não estou falando apenas sobre a saúde física, beleza ou estética. Falo de cuidado integral: bem-estar físico, emocional, espiritual e até mesmo financeiro.

A mulher tem um dom natural de ajudar os outros, seja por um reflexo natural da evolução da espécie ou por uma questão cultural. E não existe nenhum problema em ajudar os outros, e na verdade o mundo seria bem melhor se todos fizessem isso.

Mas na minha prática, tenho percebido, tanto pelas mulheres com quem convivo, tanto pelas minhas alunas, que a maioria apresenta uma grande dificuldade em cuidar de si.

E isso pode acontecer por dois motivos:

1.       A mulher fica esperando “alguém” que cuide dela, afinal ela pensa:  se eu me  dedico a cuidar e ajudar tantas pessoas (seja em casa, no trabalho, na família), mereço ser cuidada também.

2.       Ou, a mulher acredita que cuidar de si mesma é um comportamento egoísta, e acha até estranho: Como assim pensar em mim? E esse conceito de que “pensar em si é egoísmo” é reforçado em muitas situações e até mesmo por outras mulheres.

Na primeira situação é como se ela esperasse pela retribuição, pela troca. E nem sempre isso acontece, pois cada pessoa reage de um jeito e demonstra afeto de maneiras diferentes.

E no segundo caso, a mulher se coloca sempre em último lugar, porque ela sente que é mais importante ajudar os outros primeiro, é um senso de altruísmo.

Mas existe um fator que a maioria das mulheres ignora e quase todas caem nessa armadilha: se dedicar aos outros em primeiro lugar (seja no trabalho, com as amigas, com pai, mãe, filhos, marido, namorado, vizinhos, etc.) e não cuidar de si mesma, sem encontrar um ponto de equilíbrio ou uma maneira de renovar as energias, leva ao esgotamento.

Essa situação vai causando um desgaste físico e emocional, e muitas vezes, aquilo que antes era feito com amor e alegria, começa a ficar diferente.  Ao ajudar os outros você tem uma sensação de incômodo e “obrigação”.

E quando isso começa a acontecer, você começa se culpar por se sentir assim, afinal “ajudar é bom”.

O melhor recurso que você tem para mudar isso é cuidar de si mesma: a autoestima começa em você, e depende unicamente de você fortalecê-la todos os dias.

Eu brinco com as minhas clientes, que precisam aprender a viver um caso de amor com elas mesmas.

Quando você ama alguém o que você faz? Você cuida e faz coisas que essa pessoa gosta, não é mesmo?

Então como você pode se amar? Fazendo atividades que são importantes para você e que te trazem a sensação de bem estar, de alegria, de prazer.

Aprenda a separar um momento do dia para você. Você pode começar com apenas alguns minutos por dia e pode ir aumentando de acordo com as atividades que programar.

Se você não sabe, chegou a hora de identificar o que você gosta: ler um livro, assistir um filme, tomar um café com uma amiga, ir ao cinema, cozinhar um prato diferente, ir ao salão de beleza, fazer uma massagem, aprender a dançar, existem infinitas possibilidades.

Ao cuidar de si mesma, e fazer algo somente para si, então você renova as suas energias, fica de bem com você mesma, sem aquela sensação de culpa, e de que alguém te deve um elogio ou um favor. É uma sensação de leveza e bem estar.

Quando você se ama, você se cuida. E quando cuida de você, cuidar dos outros fica ainda melhor.

Escreve pra mim: contato@gabrielamodesto.com.br

Se você já tem o hábito de cuidar si mesma, compartilha comigo, eu vou adorar saber. E se você ainda não tem, e vai fazer isso agora mesmo, me conta como foi essa experiência.

Muita luz pra você

Gabi