Interesseiros de olho na onda Bolsonaro 

Já há intensões de se tirar proveiro da onda Bolsonaro em eleições futuras

Por Prisco Paraiso 10/01/2019 - 11:36 hs

*Fernando Machado escreve como interino de Prisco Paraíso durante recesso.  

O que antes apenas era uma possibilidade, agora vem se tornando cada vez mais realidade. A onda Bolsonaro que impulsionou o partido PSL, elegendo muitos candidatos por todo o Brasil, agora está sendo assediada por velhas raposas da política catarinense. O que eu quero dizer com isso? Em outubro a população escolheu pelo PSL não por conhecer o partido, ou por preferir os candidatos da sigla, e sim por acreditar que com Bolsonaro na presidência o time dele deveria ser todo do mesmo partido.

 

Confiando em Bolsonaro, a população votou também em outros candidatos da sigla formando esta grande onda, que em Santa Catarina, por exemplo, surpreendeu elegendo o governador, deputados estaduais, federais e por muito pouco o senador da chapa também não foi eleito. Se a população foi pega de surpresa, os figurões da política também. A onda Bolsonaro mandou muita gente pra casa. Velhos conhecidos da política que agora estão fora do governo ou sem mandato.

 

Por esse motivo, estão visando a onda Bolsonaro na intenção de tirar algum proveito nas eleições futuras. Nos municípios, políticos filiados a outros partidos há anos, agora estão articulando migrarem para o PSL na intenção de surfar esta onda. Já tem muito político criando movimentos em cidades do estado para vender a ideia de serem novidade, apenas pelo simples fato de mudar de partido. Basta saber se até 2022 essa onda ainda vai estar aí.

Mais do mesmo?

Cabe ao PSL, que vende a ideia de algo novo, identificar quem são essas raposas aproveitadoras para que o PSL não se torne mais do mesmo aqui no estado. Digo isso porque realmente acredito que a sigla vende uma proposta nova, com ideias diferentes de tudo que está aí. O que não pode é cair nas antigas práticas da política, aí não vai ter onda Bolsonaro que sustente a proposta do partido.

Na Fecam 

O prefeito de Tubarão, Joares Ponticelli, do PP, foi indicado à presidência da FECAM para a gestão 2019/2020. A chapa única foi homologada depois de ser deliberada pelos prefeitos e prefeitas indicados ao processo eleitoral pelas 21 Associações de Municípios.Ponticelli foi presidente da Assembleia Legislativa de Santa Catarina em 2013, presidiu a Associação dos Municípios da Região de Laguna em 2017 e em 2018 atuou como membro titular do Conselho Fiscal da Federação Catarinense de Municípios. Atualmente é vice-presidente da Frente Nacional dos Prefeitos.

CPI do transporte

O líder do Movimento Acredito, Israel Rocha, foi recebido pelo prefeito Gean Loureiro nesta quarta-feira. Ele pediu esclarecimentos ao prefeito sobre o transporte coletivo da capital. Israel está liderando um abaixo-assinado para que a Câmara de Vereadores dê início a uma CPI para investigar os contratos com o consórcio que administra o transporte público em Florianópolis.

Tomando força na Câmara

A CPI dos transportes que começou com a iniciativa de um movimento liderado por um estudante de direito, Israel Rocha, está tomando força. Cinco vereadores da capital já aceitaram abrir a CPI. A comissão deve ser instaurada nesta semana. Pelo menos 8 vereadores já mostraram interesse na investigação.

Em Chapecó

O vereador Arestide Fidelis, PSB, assumiu no início de janeiro a presidência da Câmara de Vereadores de Chapecó. Em eleição realizada na última sessão ordinária de 2018, foi escolhida a nova mesa diretora para o biênio 2019/2020. Arestide Fidelis foi conduzido para a presidência pela segunda vez, já que comandou a casa entre os anos de 2005 e 2006.