Contra o MDB

Por Prisco Paraiso 28/02/2020 - 11:52 hs

Continuando a leitura publicada na coluna de ontem sobre os movimentos do senador Jorginho Mello(PL), que se elegeu com o apoio do MDB e beliscando o segundo voto do PSL.


Pois muito bem. Jogado o jogo de 2018, Mello rapidamente bandeou-se para o lado de Jair Bolsonaro e a onda conservadora que ainda é muito forte em Santa Catarina. Como se sabe, Mello sabe como poucos aproveitar boas oportunidades.


Sem senador, o MDB – como vimos, Dário Berger não representa o partido - de Santa Catarina ou terá candidatura própria ao governo em 2022 ou estará com Moisés da Silva.

Nessa toada, terá como um dos adversários o próprio Jorginho Mello, que pilota o PL em Santa Catarina e estará com os Bolsonaros.


O senador não tem mais nada a ver com o MDB em Santa Catarina. A aliança era eleitoral, os compromissos de campanha foram cumpridos e a roda segue girando. Giro que leva o MDB a ir pagando pelos seus erros. Primeiro, por eleger um senador que não representa minimamente o partido, Dário Berger. Segundo, por eleger outro que agora tem tudo para ser um dos grandes adversários no próximo pleito estadual, Jorginho Mello!

 

 

 

 

Alívio na indústria


Os contribuintes catarinenses, sobretudo do setor industrial, serão favorecidos com a redução de 17% para 12% nas operações internas com o Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviço de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS). A lei 17.878/2019, de autoria do Governo do Estado, entra em vigor a partir de domingo, 1º de março, com incidência sobre as transações entre empresas contribuintes. O imposto será tributado cheio (17%) apenas na venda do varejista ao consumidor final.

 

 

 

 

Custos


A mudança não se aplica para os produtos destinados a uso, consumo ou ativo imobilizado das companhias. Os itens do segmento têxtil e artefatos de couro também estão fora porque possuem outro tipo de benefício. “A iniciativa é boa porque desonera a indústria que poderá vender seus produtos com menos imposto e isso contribui no custo da produção”, avalia o presidente da Associação Empresarial de Joinville (ACIJ), João Joaquim Martinelli.

 

 

 

Inelegível


O Diário da Justiça Eleitoral de Santa Catarina publicou, no dia de fevereiro,  sentença do Juiz Eleitoral da 35ª Zona Eleitoral da Comarca de Chapecó indeferindo pedido formulado pelo Ex-Deputado Federal João Rodrigues para ter seus direitos políticos restabelecidos. Ele segue inelegível, portanto.

O despacho é do juiz eleitoral Marcos Bigolin.

 

 

 

 

Aplicativo


O empresário Antídio Lunelli, ao se tornar prefeito de Jaraguá do Sul, cidade conhecida pelo seu espírito inovador, prometeu levar para o poder público conceitos que fazem parte do dia a dia da iniciativa privada. Corte de gastos e aumento de investimento, desburocratização, agilidade e transparência estão entre seus mantras. E há dez dias, dentro desta proposta, a Prefeitura lançou o aplicativo de celular ‘Jaraguá na Mão’. É a Prefeitura digital, que pode vir a ser case para o Estado.

Já são mais de 2,5 mil downloads e o número só tende a crescer.

 

 

 

 

Reforminha


O deputado Bruno Souza (Novo) propôs um substitutivo global em resposta à proposta apresentada pelo relator da matéria, deputado Maurício Eskudlark (PL) em conjunto com a bancada do PT. Bruno Souza, que chama a proposta original do Governo de ’reforminha’ pelo seu baixo impacto no ajuste das contas do executivo, se diz preocupado com a desidratação feita no projeto do governo.