Sem vaga para o PT

Por Prisco Paraiso 05/03/2020 - 11:30 hs

O TSE não aceitou  recurso da ex-candidata a deputada federal Ivana Laís (PT), que fez pouco mais de 400 votos; decisão confirma mandato para Ricardo Guidi, do PSD.

Com a definição do imbróglio, não há mais possibilidade de alteração na composição da bancada federal de Santa Catarina. Por um voto, o PT poderia ter direito a mais uma cadeira, mas os sufrágios de Laís não foram válidos, encerrando o caso.

Em outubro de 2018, Ana Paula Lima (PT) fez 76,3 mil votos. Foi mais votada nominalmente do que o próprio Guidi e poderia ter direito à cadeira se a legenda alcançasse o número suficiente de votos para mais uma vaga. Guido conquistou 61,8 mil votos feitos na eleição de 2018.

 

 

 

 

Desempate

A votação estava empatada em 3 votos a 3 e parou após um pedido de vista em outubro do ano passado. O assunto voltou à pauta do TSE na terça à noite.  A ministra Rosa Weber, que ainda não havia votado, não aceitou os argumentos da candidatura petista e votou contra o recurso. Passada a régua, o placar ficou em quatro a três a favor de Guidi.

 

 

 

 

 

A regra é clara

Todo esse imbróglio se arrastava desde o resultado das eleições de 2018. Como é comum em vários partidos, candidatas mulheres acabam sendo usadas para compor a cota de participação feminina, mas a maioria não é de candidaturas pra valer. Naquele ano, a petista Ivana Laís, que fez 491 votos (!) não apresentou certidões necessárias para o registro, mas alegou não ter sido notificada, mas a praxe é a notificação via mural eletrônico.

 

 

 

 

Igualdade

A gaúcha Rosa Weber deixou claro que embasou seu voto no princípio da igualdade e da isonomia. Ou seja, se as notificações via mural eletrônico valeram para os demais concorrentes no pleito de 2018, por que não valeria para a petista Laís? Fica o aprendizado para os envolvidos neste processo: eleição é coisa séria!

 

 

 

 

Habeas

Gilmar Mendes, o rei do habeas corpus no STF, expediu medida liminar que reestabelece os direitos políticos do ex-deputado João Rodrigues, do PSD “até o julgamento de mérito do habeas corpus.” A defesa é da lavra do advogado Marlon Bertol.

 

 

 

 

Novela

Parece que esse imbróglio jurídico – Rodrigues tem uma condenação judicial em segunda instância na Justiça Federal – ainda está longe do fim.

Até as eleições, das quais o pessedista pretende disputar, muita água, e talvez liminares, devem passar por baixa da ponte.

 

 

 

 

Joinville

O pré-candidato a prefeitura de Joinville, pelo Podemos, Ivandro de Souza, esteve em São Paulo, na casa da presidente nacional do partido, a deputada federal Renata Abreu. Souza esteve acompanhado pelo ex-deputado federal Paulinho Bornhausen, um dos articuladores do Podemos em Santa Catarina.

 

 

 

 

 

Respaldo

O objetivo da visita foi apresentar, à presidente nacional, os planos da pré-candidatura a prefeito e convidá-la para visitar a cidade de Joinville. Bastante elogiado pelos planos apresentados, Ivandro de Souza retorna com o apoio nacional do Podemos à a sua candidatura, até mesmo pelo fato de Santa Catarina estar no radar do partido e para isso Joinville seria estrategicamente importante.