Secretaria de Esportes de Joinville garante Bolsa Atleta para esportistas em 2018

Secretaria de Esportes de Joinville garante Bolsa Atleta para esportistas em 2018

Subsídio é destinado para atletas, paratletas, técnicos e guias

Por Redação Agora Joinville 29/01/2018 - 17:01 hs
Foto: Divulgação

Talentos do esporte de Joinville contam com incentivo para o desenvolvimento de suas carreiras. Eles recebem benefício do Município por meio do Programa Bolsa Atleta Municipal, instituído pela Lei 6.613/2009 e gerido pela Secretaria de Esportes.

O subsídio é destinado a atletas, paratletas, técnicos e guias que representam o município em competições do calendário da Fundação Catarinense de Esporte (Fesporte), como a Olimpíada Estudantil (Olesc), Joguinhos Abertos de Santa Catarina, Jogos Abertos (JASC) e Jogos Paradesportivos (Parajasc).

Para 2018, o orçamento de cada modalidade foi definido com base nos resultados nos últimos 9 anos, tendo peso maior para as conquistas em Olesc e Joguinhos. No ano passado, o investimento foi de R$ 2.694.200,00, sendo R$ 1.718.900,00 para atletas e paratletas. Ao todo, foram 458 beneficiados, representantes de 30 modalidades esportivas e paradesportivas.

Valores

Os valores do Programa variam de R$ 100 a R$ 2 mil para atletas e paratletas e de R$ 400,00 a R$ 3 mil para técnicos e guias, dependendo do desempenho em competições municipal, regional, estadual, nacional e internacional.

O Bolsa Atleta é para custeio exclusivo das atividades esportivas. “O Programa não é salário. Deve ser usado exclusivamente para a preparação e participação em competições de esporte de rendimento e formação das respectivas modalidades dos beneficiários”, explica o diretor executivo da Secretaria de Esportes Geraldo Campestrini.

Processo

O processo de seleção dos beneficiados, de acordo com a Secretaria de Esportes, se dá pela performance histórica e recente do atleta em competições de âmbito regional, estadual, nacional ou internacional, ajustando-se para o orçamento disponível para cada modalidade. Aqueles que apresentam melhores resultados tendem a ganhar um benefício maior que outros atletas que compõe a equipe. 

O atleta pode perder o benefício caso descumpra com o plano de trabalho. Ele também precisa oferecer contrapartidas sociais no fomento a atividades de esporte educacional e participativo.

“A ideia é trabalhar o conceito de Pedagogia do Exemplo, sendo que os atletas devem ser referência para ampliar o interesse e a prática esportiva na cidade”, conclui Campestrini.