Empresários da República Tcheca negociam acordos comerciais com Santa Catarina

Comitiva tcheca teve encontro com redes de supermercados para negociar produtos, como cervejas e vinhos. Catarinenses esperam que cervejarias do Estado importem tecnologia

Foto: Murici Balbinot

Empresários catarinenses e tchecos estiveram reunidos em Florianópolis nesta segunda-feira (5) para negociar a importação de produtos e serviços como cervejas, vinhos, máquinas, equipamentos e tecnologia. Na prática, o encontro promove relações comercias entre Brasil e República Tcheca e aumenta a oferta de produtos importados nas prateleiras dos supermercados catarinenses. Além disso, deve impulsionar o setor cervejeiro de Santa Catarina, com expertise e insumos tchecos.

"Nossa expectativa é fazer a rodada de negócios, onde os supermercados das redes de Santa Catarina vão fazer a compra dos produtos tchecos, como cervejas e vinhos"

Pela manhã, houve um contato inicial entre os empresários. "Nós tivemos vários palestrantes, trocamos informações conhecendo melhor a República Tcheca e eles conheceram melhor o nosso Estado de Santa Catarina", disse o presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina (Fecomércio/SC), Bruno Breithaupt, que liderou o grupo brasileiro.

"Nossa expectativa é fazer a rodada de negócios, onde os supermercados das redes de Santa Catarina vão fazer a compra dos produtos tchecos, como cervejas e vinhos", disse o cônsul honorário da República Tcheca no Brasil, Rafael Thales de Freitas.

Algumas redes de supermercados já comercializam cervejas tchecas. A expectativa é que a negociação desta segunda-feira amplie esta participação. Para isto, os visitantes trouxeram produtos na bagagem para degustação, além da oferta de tecnologia e insumos para a produção de cerveja artesanal no Estado.

 "Não se trata só de cerveja e de vinho. Na missão empresarial temos aqui conosco representantes de empresas que projetam e constroem microcervejarias que sabemos que é um ramo que está em boom no Brasil", disse o chefe do setor comercial e econômico da Embaixada da República Tcheca no Brasil, Petr Klíma.

Além de máquinas e equipamentos, os tchecos também vieram negociar insumos. Junto à comitiva, está um representante de uma empresa tcheca produtora e exportadora de lúpulo, um dos ingredientes para fabricação de cerveja. O lúpulo da República Tcheca é considerado o melhor do mundo, um dos fatores que fazem este país ser referência no setor.

Breithaupt também espera que a negociação traga outros benefícios ao Estado. "Possivelmente, no futuro, nós também teremos oportunidade de levar a eles a qualidade de produtos que fabricamos aqui em Santa Catarina para que seja uma troca interessante. Não só eles venderem para nós, mas também para vendermos para a República Tcheca", disse.

Blumenau

Nesta terça-feira (6), está em Blumenau. No roteiro, está a visitação ao Parque Vila Germânica onde, nesta semana, acontece o Festival Brasileiro da Cerveja. A intenção é conectar as cervejarias do Vale do Itajaí com o mercado da República Tcheca, dada a relevância do setor na região.

 "Nós estamos indo amanhã [6] a Blumenau justamente para ter uma troca de experiências, produtos, aprender um pouco com o mercado cervejeiro blumenauense e importar conhecimento tcheco para Santa Catarina", disse Rafael Thales de Freitas.

Foto: Murici Balbinot

Foto: Murici Balbinot