Museu de Arte de Joinville estreia exposição com obras inéditas de Mario Avancini

Museu de Arte de Joinville estreia exposição com obras inéditas de Mario Avancini

Exposição tem estreia neste sábado e conta com 73 obras

Foto: Divulgação

Nova exposição no Museu de Arte de Joinville (MAJ), "Revelação da beleza - A matéria esculpida por Mário Avancini" estreia neste sábado (5), às 10 horas, e vai reunir 73 peças da série "Aconchego", que fazem parte do acervo do MAJ. Parte das obras nunca foi exposta e, por isso, são inéditas. A curadoria da mostra é de Letícia Mognol e Marcio Paloschi. 

Além das esculturas, o público poderá conhecer mais sobre a vida de Mario Avancini, com o filme "Decifrando a Linguagem das Pedras", que será exibido durante todo o período da exposição, que segue até o dia 29 de julho. O curta-metragem é dirigido pelo cineasta Luciano Coelho, e produzido pela neta do escultor, Daniela Avancini. 

A abertura da exposição terá como atração especial, apresentação do "Som na Calçada", a partir das 10h30. Criado pelos músicos Tobias Alexandre, Júnior Gonçalves e Cláudio Morais, o projeto traz em seu repertório, clássicos do jazz e do blues norteamericano, e sucessos da música popular brasileira, ao som do contrabaixo acústico, guitarra elétrica, saxofone e flauta. 

A exposição "Revelação da beleza - A matéria esculpida por Mário Avancini" e o projeto "Som na Calçada", têm apoio da Prefeitura de Joinville, por meio do Sistema Municipal de Desenvolvimento pela Cultura - Simdec

O Museu de Arte de Joinville fica na rua XV de Novembro, 1400, América, e é aberto ao público de terça-feira a domingo, das 10 às 16 horas. A entrada é gratuita. 

Mário Avancini 

Nascido em Rodeio, Santa Catarina, em 1926, Mário Avancini começou a trabalhar aos 13 anos, com o pai, que era britador de pedra - e descobriu a matéria-prima seria a base para a sua obra. 

Sua projeção como artista ocorreu no final da década de 1960, quando executou uma peça para a Praça do Índio, solicitada pela Prefeitura de Joinville. A partir daí foi transferido para a Escola de Arte Fritz Alt, da Casa da Cultura de Joinville (1968). 
Ganhou uma bolsa de estudos, aprendeu a esculpir em cerâmica e queimar peças em fornos, e passou a se dedicar à escultura, como artista e professor. 

Em uma primeira fase, destacaram-se as temáticas exóticas e místicas, com peças como "Pia Batismal" ou "Mão com Cristo". A partir dos anos de 1990, a família deu o tom de sua obra, com formas concisas, como as que podem ser conhecidas na série "Aconchego". 
Mario Avancini faleceu em novembro de 1992, aos 66 anos. É reconhecido como um dos grandes artistas catarinenses.

*Informações de Folha de Araquari