Ações devem restabelecer o abastecimento de combustível no norte do Estado

Postos receberão combustíveis para atender a população, mas com um limite de 20 litros por veículo

Por Redação Agora Joinville 30/05/2018 - 15:16 hs
Foto: Jacson Carvalho/Agora Joinville

No norte do estado, ainda hoje (30), o transporte público de Joinville e São Francisco do Sul deve receber combustível, após uma negociação do Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cigerd) de Joinville. Os postos da região também serão abastecidos para atender a população com o limite de vinte litros de combustível por veículo.

Já o abastecimento de gás residencial e de cozinha deve ser normalizado nas próximas horas do dia.

A cidade de Itapoá recebe hoje um carregamento de medicamentos e também cestas de alimentação para a população carente.

Em Jaraguá do Sul, a Polícia Militar trabalha para garantir a segurança de caminhoneiros que querem se retirar do local de manifestação.

Manter a lei

Sem pontos de bloqueios nas rodovias de Santa Catarina, os órgãos de segurança e secretarias do governo do Estado trabalham em conjunto para restabelecer a ordem e garantir aos cidadãos sua rotina de trabalho e vida.

A ordem do governador Eduardo Pinho Moreira é manter a lei e fazer com que a vida dos catarinenses seja normalizada. Para isso as forças de segurança estão garantindo a passagem de veículo sem todas as rodovias, além de assegurar o direito de ir e vir das pessoas.

Outro ponto de atuação da Secretaria de Segurança Pública é ajudar a liberar os caminhoneiros que querem se desvincular do movimento.

Ações

Nesta quarta-feira (30) as ações serão intensas para que a lei seja cumprida e tudo volte ao normal o mais rápido possível. A previsão é que até o fim de semana todas as cidades catarinenses tenham sua rotina normalizada. Nesse momento a união das pessoas vai ajudar a recuperar o tempo perdido.

Manutenção da ordem

"O Estado tem trabalhado com a garantia de fornecimento dos itens que consideramos essenciais e alguns críticos, durante a semana de paralisação. Foram intensas conversações a fim de manter determinadas rotas que considerávamos seguras pra esse tipo de manutenção, mas chegamos a um estágio agora que precisa de novas medidas", destacou o secretário de Segurança Pública, Alceu de Oliveira Pinto Júnior.

O secretário afirmou ainda "que a lei há de ser cumprida em relação às liminares que temos recebido e o próprio abastecimento da população que chegou efetivamente ao seu limite."

"Então as forças de segurança, principalmente, não evitarão esforços para manter uma corrente de abastecimento que tende a normalizar essa situação", concluiu.