Frio e Dia dos Namorados animam comércio em Joinville

Projeções de incremento nas vendas vão de 5% até mais de 20%, dependendo do setor

11/06/2018 - 09:50 hs

A chegada do frio e a aproximação do Dia dos Namorados, comemorado em 12 de junho, estão animando os lojistas de Joinville e região. A torcida e a expectativa são de que os números ruins do ano passado e dos primeiros meses de 2018 fiquem finalmente para trás. As projeções de incremento nas vendas vão de 5% até mais de 20%, dependendo do setor. 

O vice-presidente da CDL, José Manoel Ramos, afirma que a intensificação do frio aumentou as expectativas positivas dos lojistas da cidade em relação à data. 

"As lojas dos ramos de calçados e vestuário, principalmente, esperam um crescimento entre 15 e 20% nas vendas em relação ao mesmo período do ano passado. Como a data tem um apelo emocional muito forte, outros setores, como os de joias, perfumarias e cosméticos, também devem registrar incremento", destaca. 

O empresário Raulino Esbiteskoski, presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Joinville e Região (Sindilojas), confirma que o frio deu uma aquecida no movimento e deve ajudar os lojistas na data. Segundo ele, especificamente nas lojas Ravelli, as vendas para o Dia dos Namorados devem crescer em torno de 6%, em contraponto com o ano anterior, "que foi muito ruim". 

Gasto médio de R$ 173,76 

Roupas, perfumes, cosméticos e calçados devem ser os itens mais procurados na véspera do Dia dos Namorados em Santa Catarina. A data comemorada na próxima terça-feira, 12 de junho, costuma não só aquecer as vendas em diferentes segmentos do comércio, mas também movimentar restaurantes e bares, entre outros serviços. 

Conforme a Pesquisa de Intenção de Compras realizada pela Fecomércio SC em sete cidades, o gasto médio neste ano será de R$ 173,76, variação de -0,7% em relação ao ano passado. Os consumidores de Florianópolis devem desembolsar um pouco mais (R$ 200,06). 

A melhora no orçamento familiar deve pesar positivamente na hora de escolher o presente: 42,8% consideram que a situação financeira está positiva, diante dos 21,1% que acreditam que piorou - o menor resultado desde 2014. 

"Os empresários estão confiantes que a data reaquecerá as vendas, após a queda brusca no movimento e no faturamento das lojas com a paralisação dos caminhoneiros. Outro excelente indicador na data é a intenção de pagamento à vista (cerca de 60% das compras), que injetará dinheiro no comércio neste momento de recuperação", avalia o presidente da Fecomércio SC, Bruno Breithaupt. 

Para garantir o melhor custo/benefício, sete a cada dez catarinenses pretendem fazer pesquisa de preços. Em Joinville, o índice chega a 95,7%. O principal destino dos consumidores deve ser o comércio de rua (69%). 

Os dados foram apurados com 2.059 pessoas, entre os dias 14 e 19 de maio, nas cidades de Blumenau, Chapecó, Criciúma, Florianópolis, Joinville, Lages e Itajaí

Leia as últimas notícias de Joinville e região no AJ