Audiência Pública apresenta Relatório de Impacto Ambiental

Uma Audiência Pública no dia 16 de outubro vai apresentar o Estudo de Impacto Ambiental e o Relatório de Impacto Ambiental (EIA/RIMA) da implantação e operação da Ponte de Joinville

Por Larissa Leite / Redação AJ 04/10/2019 - 11:00 hs
Foto: Divulgação

A audiência será realizada na Câmara de Vereadores de Joinville, que fica na avenida Hermann August Lepper, 1.100, bairro Saguaçu, com início às 19 horas. O evento é realizado pelo Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA/SC). 

A ponte fará a ligação entre os bairros Adhemar Garcia e Boa Vista, estrutura prevista no Plano Viário de 1973, integrante do Plano Diretor de Desenvolvimento Sustentável. O projeto subsidia o processo administrativo de licenciamento ambiental do empreendimento junto ao IMA. Os próximos passos antes do início da obra são o lançamento do edital de licitação pública internacional, a proclamação do vencedor e, por fim, a assinatura do contrato. 

A ponte que vai ligar as regiões Sul e Leste de Joinville, partirá da avenida Alwino Hansen, no bairro Adhemar Garcia, seguindo sobre o rio Cachoeira, e será conectada com o sistema viário do bairro Boa Vista, em binário a ser implantado nas ruas São Borja e São Leopoldo. O contrato de financiamento de US$ 40 milhões foi assinado pela Prefeitura de Joinville com o Fundo Financeiro para o Desenvolvimento da Bacia do Prata (Fonplata) dentro do Programa Linha Verde Eixo Ecológico Leste Joinville. 

A ponte, com aproximadamente 833 metros de comprimento e 26 metros de largura, terá duas faixas para bicicletas e ciclofaixa, considerada de vital importância para a mobilidade urbana de Joinville na ligação entre as zonas Sul e Leste, que atualmente é feita apenas pela Ponte do Trabalhador, no bairro Guanabara, ou pela região central. 

Segundo o Relatório de Impacto Ambiental agora aprovado, a malha viária e urbana de Joinville foi sendo estruturada, ao longo dos anos de forma espontânea, sem seguir critérios urbanísticos de planejamento. O tipo de ocupação formada, aliado às feições topográficas da região, gerou um sistema viário onde o desenvolvimento da malha urbana segue predominantemente na direção Norte/Sul.

Com o intuito de minimizar os problemas atuais, a implantação da Ponte será uma nova ligação entre o sentido Sul/Norte da cidade, criando um trajeto menor e reduzindo a necessidade de acesso dos habitantes pelo centro da cidade, gerando melhoria significativa na qualidade de vida dessas comunidades.