Contratação de servidores impede governo de conceder reajuste, diz Fazenda

'Encerrando essa fase de recomposição, vamos estudar a questão dos reajustes', disse secretário

Foto: Fábio Queiroz

Pressionado por servidores que pedem reajuste nos salários, o governador Carlos Moisés da Silva disse que "qualquer movimento de reposição salarial seria um ato de irresponsabilidade" do Executivo. Ele cita o aspecto legal que limita o gasto com a folha e também a falta de caixa como fatores principais. A fala desagradou, principalmente policiais e bombeiros. 

Segundo o secretário da Fazenda, Paulo Eli, a concessão de reajustes não deve acontecer em breve. "Primeiro nós estamos trabalhando na reposição da máquina. Estamos fazendo reposição de professor, de policial, de agente prisional. Aí não tem limite para dar aumento. Encerrando essa fase de recomposição, vamos estudar a questão dos reajustes", disse.

Moisés assume que o Executivo precisa de novas contratações, mas afirma que só autorizará o preenchimento de vagas depois de avaliar o desempenho dos órgãos estaduais, com as admissões realizadas em 2019.