62% dos brasileiros avaliam momento econômico do país como ruim

Pesquisa nacional aponta que principais fatores são a alta dos preços, desemprego e juros elevados

Foto: Divulgação

Segundo uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), 62% dos consumidores acreditam que o momento econômico do Brasil é ruim. O número caiu 10 pontos percentuais (p.p.) em relação a dezembro de 2018, quando chegou a 72%.

Para os entrevistados que acreditam que a situação está ruim, os principais fatores são à alta dos preços (71%), o desemprego (62%) e os juros elevados (33%). Já em relação à própria vida financeira, apenas 14% dos brasileiros avaliam sua condição como boa, enquanto 38% afirmam que ela está ruim.

Já na percepção sobre o futuro, o percentual de brasileiros pessimistas e otimistas é o mesmo: 26%, enquanto 44% se dizem neutros. Entretanto, quando o assuntos são as finanças pessoais os consumidores estão mais otimistas, com 56% acreditando que sua situação deve melhorar nos próximos meses.

"Pode parecer contraditório observar uma expectativa maior com as próprias finanças do que com a economia brasileira. O fato é que por mais que a situação econômica do país impacte a vida financeira do consumidor, ele sabe que assumir um controle efetivo sobre seu bolso e fazer adaptações podem ajudar a enfrentar um ambiente adverso e se desgarrar da crise", explicou a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti. 


Índice de confiança

A pesquisa também mostrou que em dezembro o Indicador de Confiança do Consumidor atingiu 47 pontos, queda de 0,2 pontos em relação a novembro. Na comparação com o mesmo período do ano anterior, o indicador subiu 1,2 pontos (era 45,8). O índice varia de zero a 100, sendo que quanto maior o número, mais confiantes estão os consumidores.

"Espera-se que com um cenário econômico mais estável, o brasileiro encontre razões para voltar ao consumo de forma mais confiante e comece a pagar suas dívidas", avaliou Marcela.