Alerta para greve no sistema prisional

Cerca de 40 agentes da região devem participar de Assembleia Geral

Foto: Divulgação

Na última semana, servidores do sistema prisional de Santa Catarina sinalizaram estado de greve. A decisão foi tomada durante assembleia geral dos agentes penitenciários, com participação da Polícia Civil e Instituto Geral de Perícias, em Florianópolis. A classe reivindica direitos em relação a aposentadoria e validação de tempo de serviço. Cerca de 40 agentes das unidades I e II da Penitenciária de São Cristóvão do Sul devem participar de Assembleia Geral marcada para hoje (17), em Florianópolis.

Entre os pedidos, está a consideração do tempo de serviço prestado em quaisquer carreiras dentro de atividade militar prestada nas Forças Armadas, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros Militares.Outro pedido é para que aqueles que tenham ingressadona respectiva carreira até 1º de julho de 2020, possam se aposentar com a totalidade da remuneração do cargo em que se der a aposentadoria. 

De acordo com o diretor da unidade II da Penitenciária de São Cristóvão do Sul Daniel Sena, a Associação dos Agentes Penitenciários (Agepens) é quem está à frente do movimento, contrariando a proposta do governo no que tange a retirada dos benefícios dos servidores públicos  no texto que trata a reforma da previdência proposto pelo estado. "Há indicativo de greve para o dia 17, caso o governo do Estado não aceite as emendas no projeto de reforma da previdência com as solicitações que atendem as classes de segurança", adiantou Daniel. 

Por enquanto, o estado de greve não altera as atividades de nenhuma unidade prisional. "O estado de greve é apenas um requisito para que, caso não seja resolvida a situação, a categoria tenha embasamento jurídico para uma Greve Geral", explicou o diretor.