Dalmo Claro (PSL) mostra propostas para Joinville

O candidato é o primeiro de uma série de entrevistas feitas pelo Agora Joinville

Por Beatriz Kina 15/10/2020 - 10:26 hs
Foto: Foto: Max Schwoelk

Com as eleições agendadas para o dia 15 de novembro e, em caso de segundo turno, dia 29 de novembro, o Agora Joinville abriu espaço para os candidatos à prefeitura de Joinville apresentarem propostas sobre temas de interesse público. 

Todos os 15 candidatos tiveram o mesmo tempo para responder todas as perguntas e, em respeito aos que responderam dentro do prazo, respostas encaminhadas depois da data final não serão consideradas. 

Foram 13 perguntas iguais feitas aos candidatos. Todos os dias uma matéria será publicada com as respostas de um(a) candidato(a) considerando a ordem de envio. 

Nesta quinta-feira (15), Dalmo Claro (PSL) dá início a esta série de entrevistas.

Agora Joinville - Nos últimos anos Joinville observa uma insatisfação recorrente por parte de professores da rede municipal de ensino devido a desvalorização desse profissional. Essa desvalorização resulta em greves anuais e acordos que não atendem às expectativas desses trabalhadores. Qual é o diferencial do plano de governo do(a) candidato(a) para a valorização desses servidores?

Dalmo Claro (PSL) - Nosso diferencial é ouvir, escutar as pessoas. É isso que vamos fazer com os professores, profissionais da saúde, enfim, todos os servidores. Vamos valorizar os talentos que temos, e que não são poucos. Por onde passei em minha trajetória na gestão de entidades privadas e públicas, implantei iniciativas de valorização e que deram muito certo. Vou fazer o mesmo na Prefeitura de Joinville. O que move a cidade são as pessoas, e portanto, o que moverá a Prefeitura para atender melhor serão os servidores motivados, participantes da gestão.

Agora Joinville - Hoje a cobertura e tratamento de esgoto chega a apenas 39% da cidade. Se eleito(a), até o final do mandato, a quantos % o(a) candidato(a) pretende expandir esse número? O que te faz acreditar que esta meta é possível? 

Dalmo - A nossa meta é 100%, e não pode ser diferente. Joinville está muito atrasada neste setor, e precisamos avançar. Vamos avançar o mais rapidamente possível, e diante do que vamos encontrar nas finanças da Prefeitura após esta gestão. Uma das saídas é reinvestir o lucro da Águas de Joinville no saneamento, e não como é hoje, onde o dinheiro vai para o caixa geral da Prefeitura, e não se sabe onde é investido. Reitero que vamos ouvir as pessoas, os técnicos, e agiremos em conjunto para avançar o mais rapidamente no saneamento.

Agora Joinville - Joinville é chamada de “Cidade das Flores” e “Cidade da Dança”, mas não é isso que se vê diariamente. Quais projetos são cruciais para que a cidade possa retomar esses títulos?

DC - O projeto principal é reanimar a cidade, para Joinville voltar a ser Joinville. Joinville exige mais, e tem recebido quase nada da atual gestão, é só olhar a cidade. Estes títulos só voltarão a ter a força que tiveram quando a gestão mudar, ouvir as pessoas, motivar a todos. Vamos aos bairros permanentemente, não serei Prefeito de gabinete. Estarei nos bairros, ouvindo e motivando. Assim é que vamos recuperar a estima da cidade, e assim seus títulos.

Agora Joinville - Com o impacto da pandemia, muitos joinvilenses perderam o emprego. Se eleito(a), qual a primeira decisão do governo para impulsionar a economia na cidade? 

DC - Não vamos vender falsas ilusões, que é fácil de fazer em uma campanha. A pandemia quebrou a economia que já não vinha bem, e vai seguir com a gente por muito tempo ainda. Vamos agir para cuidar das pessoas, e ao mesmo tempo, destravar a cidade que hoje perde empreendimentos e empregos para cidades vizinhas. Por que em cidades até menores empresas são abertas com rapidez, alvarás são liberados, licenciamentos andam mais rapidamente, e em Joinville não? Vamos simplificar para quem quer empreender e gerar empregos, e assim vamos retomar o ritmo que a cidade precisa e merece.

Agora Joinville - Em julho de 2019 o secretário de Assistência Social de Joinville, Vagner Ferreira de Oliveira, estimou que existem em Joinville cerca de 800 pessoas em situação de rua na cidade. Como o(a) candidato(a) pretende acolhê-las? 

DC - Este número é do ano passado, sem a pandemia. Isso mostra que não há cuidado com quem precisa e nós vamos procurar reverter isso com as políticas de assistência social existentes. Vamos ouvir os assistentes sociais, e ampliar o atendimento a essas pessoas, e mais, criar condições para que elas voltem a ter uma vida digna, com oportunidades de qualificação profissional, trabalho e renda. Vamos cuidar das pessoas, é nosso compromisso.

Agora Joinville - Há mais de 20 anos Joinville permanece com as mesmas empresas de transporte coletivo na cidade. O valor da passagem segue aumentando. O candidato(a) pretende abrir licitações para que novas empresas possam oferecer o serviço?

DC - A licitação é uma necessidade, a lei manda e vamos fazer com a participação de todos, e de forma inteligente. O transporte coletivo é fundamental na mobilidade urbana, e tem que ter qualidade como ar condicionado, piso baixo, e tarifas justas. Nossa intenção é baixar a passagem isentando de ISS, por exemplo. Vamos agir para modernizar o transporte coletivo de Joinville.

Agora Joinville - Joinville tem atualmente 669 quilômetros sem nenhum tipo de pavimentação. Para o seu governo, a prioridade será a manutenção de ruas já asfaltadas ou pavimentação de novas ruas?

DC - Absoluta prioridade para quem não tem a sua rua pavimentada e vive todos os dias com os buracos, uns dias buracos com pó, e outros buracos com a lama. Manutenção das ruas asfaltadas ou pavimentadas é um dever da Prefeitura, mas o atual governo não só não fez como piorou ao fazer obras como a famosa obra do Rio Mathias. Seis anos de obras, buraqueira, e abandonada agora, sem finalizar. Vamos agir fortemente na mobilidade urbana, e pavimentação é prioridade.

Agora Joinville - Alguns bairros de Joinville sofrem constantemente com a falta de água. Qual o projeto de governo do(a) candidato(a) para que essa não seja mais um realidade da cidade?

DC - Como já disse na questão do saneamento básico, vamos mudar a gestão da Águas de Joinville. O lucro da companhia tem que ser investido na gestão da água e no saneamento básico. Faltar água em Joinville em pleno século 21 com uma empresa pública que gera lucros é inadmissível, bem como ter somente 39% de cobertura de esgoto, também. E claro, vamos buscar financiamentos para ampliar a rede. E outra coisa importante: precisamos parar de estender a cidade, ela tem que crescer sim, mas verticalmente.

Agora Joinville - Nos nove primeiros meses deste ano o número de microempreendedores individuais (MEIs) aumentou cerca de 14% no país. Qual é o projeto de governo do(a) candidato(a) que pretende incentivar os MEIs de Joinville?

DC - Nós vamos incentivar a geração de empregos destravando a cidade, desburocratizando o que amarra os novos negócios, e assim, trava empregos. Os MEIs são importantes, as microempresas são também fundamentais, todos são importantes para gerar emprego, renda e arrecadação para a Prefeitura. Vamos gerar empregos com qualidade, e assim retomar a felicidade de quem precisa viver com dignidade. Vamos incentivar todas as iniciativas que gerarem emprego, renda, motivação para Joinville. A cidade parou, vamos acelerar para ela voltar à sua grandeza.

Agora Joinville - O joinvilense tem muitas ressalvas a respeito de processos muito burocráticos na cidade, o que o(a) candidato(a) pretende fazer em relação a isso? Qual é a prioridade?

DC - Como já disse em outra pergunta, vamos simplificar processos, destravar a cidade. Em tempos digitais, é inadmissível que o cidadão tenha que se deslocar do seu bairro para resolver algo no centro, na Prefeitura. Vamos implementar os serviços da Prefeitura nos bairros, é lá que vive o cidadão, é lá que ele vai resolver seus problemas com o poder público. Para quem for empreender, vamos estender um tapete verde, amarelo, azul e branco, porque ele vai gerar empregos, renda e impostos.

Agora Joinville - O estacionamento rotativo foi um projeto implementado durante o governo do atual prefeito, o(a) candidato(a) pretende fazer alguma manutenção?

DC - Com certeza vamos rever. O estacionamento rotativo não pode ser um gerador de receitas ao município, ele tem que ser um facilitador da vida das pessoas que precisam acessar o centro e região para fazer seus negócios. A Guarda Municipal tem que cuidar do patrimônio, zelar pela segurança e não viver atrás dos carros para multar. Vamos mudar isso.

Agora Joinville - O mirante e o zoobotânico de Joinville são procurados para caminhadas e passeios, o(a) candidato(a) tem outro projeto para criar uma área de lazer para a população?

DC - Vamos fazer várias áreas, não apenas uma só. Vamos recuperar as praças da cidade, as famílias precisam de áreas de lazer bonitas, limpas, bem arrumadas para viver a vida na cidade com qualidade. Hoje temos um quadro de abandono geral, tenho visto nos bairros. Ouvindo as pessoas vamos decidir sobre um parque para a cidade que contemple caminhadas, locais para as pessoas estarem e se divertirem. Passou da hora de Joinville ter parques e praças em todas as regiões. Uma cidade feliz, motivada, precisa de parques e praças bonitas. Vamos criar novas áreas de lazer, cuidar e manter, ouvindo as pessoas.

Agora Joinville - O que te diferencia dos demais candidatos? 

DC - Creio que é o conjunto de experiências. Sou médico há 42 anos, e neste tempo todo cuidei das pessoas. Só pude cuidar, receitar, atender com eficiência porque gosto de ouvir as pessoas. Assim fui aprendendo a gerir pessoas, compreender anseios. E também aprendi a ser um bom gestor nas empresas de saúde nas quais fui presidente, como a Unimed, Federação das Unimeds de SC, Seguros Unimed, e também na Secretaria de Estado da Saúde como Secretário que fui. Administro empresas próprias, sei o que é empreender. No parlamento, como deputado estadual, nem se fala. Ouvia muito e assim pude descobrir as melhores saídas, mais adequadas a cada problema, e dar melhores resultados. Portanto, já fui testado em dirigir grandes empresas. Tenho 65 anos, gosto de gente, de desafios, e o desafio de ajudar a minha cidade a sair do atraso em que se encontra me move e motiva. Quero dar a Joinville tudo que ela me deu, agora cuidando dela com o carinho que ela merece. Joinville e sua gente, pessoas que vivem nesta cidade maravilhosa, merecem ser ouvidas, e receberem de volta aquilo que o poder público tem que dar: respostas, ação e uma cidade linda e próspera. Acredito que esse conjunto de experiências e vontade de ouvir e fazer, é que me diferencia. Quero ser Prefeito para recolocar Joinville no seu lugar de destaque que sempre teve. Quero cuidar de Joinville.

Na publicação de amanhã (16) você verá as respostas da candidata Tânia Eberhardt (Cidadania).