Adriano Silva (Novo) apresenta propostas para Joinville

O candidato é o sexto concorrente a responder as perguntas do Agora Joinville

Por Beatriz Kina 20/10/2020 - 10:30 hs
Foto: Foto: Divulgação / Assessoria

Com as eleições agendadas para o dia 15 de novembro e, em caso de segundo turno, dia 29 de novembro, o Agora Joinville abriu espaço para os candidatos à prefeitura de Joinville apresentarem propostas sobre temas de interesse público. 

Todos os 15 candidatos tiveram o mesmo tempo para responder todas as perguntas e, em respeito aos que responderam dentro do prazo, respostas encaminhadas depois da data final não serão consideradas. 

Foram 13 perguntas iguais feitas aos candidatos. Todos os dias uma matéria será publicada com as respostas de um(a) candidato(a) considerando a ordem de envio. 

Ontem (19), Nelson Coelho (Patriota) foi o quinto a responder a essa série de entrevistas. Hoje, Adriano Silva (Novo) é quem responde. 

Agora Joinville - Nos últimos anos Joinville observa uma insatisfação recorrente por parte de professores da rede municipal de ensino devido a desvalorização desse profissional. Essa desvalorização resulta em greves anuais e acordos que não atendem às expectativas desses trabalhadores. Qual é o diferencial do plano de governo do(a) candidato(a) para a valorização desses servidores?

Adriano Silva (Novo) - É preciso gerar um salto de qualidade na educação básica através da gestão profissionalizada, do diálogo público-privado, da participação da comunidade escolar e da sinergia entre os diferentes atores sociais. Vamos investir na qualificação e valorização constante dos profissionais da educação. Para isso, vamos desenvolver um sistema de reconhecimento para professores e diretores, baseado no resultado da aprendizagem.  Para que os professores tenham acesso às inovações de ensino, criaremos um Centro de Formação para oferecer desenvolvimento profissional e garantir que os profissionais estejam preparados para promover novas estratégias de aula e o domínio dos conceitos-chave de cada disciplina. É papel da prefeitura facilitar o aperfeiçoamento contínuo dos professores, coordenadores e diretores para estimular novas práticas de aprendizado.

Agora Joinville - Hoje a cobertura e tratamento de esgoto chega a apenas 39% da cidade. Se eleito(a), até o final do mandato, a quantos % o(a) candidato(a) pretende expandir esse número? O que te faz acreditar que esta meta é possível? 

Adriano - Em geral as cidades no Brasil foram crescendo sem um planejamento urbanístico adequado e isso cria dificuldades para a população em diferentes áreas. É necessário resolver o problema de saneamento básico, que já deveria abranger todas as residências há muitos anos. Com o marco do saneamento e a meta de universalização de serviços de água e esgoto, vamos abrir uma consulta pública para a apresentação de projetos pela iniciativa privada para captação e distribuição de águas e tratamento de esgoto no município. Isso será viabilizado através da concessão onerosa da Companhia Águas de Joinville. É a oportunidade para resolver essa questão de uma vez por todas.

Agora Joinville - Joinville é chamada de “Cidade das Flores” e “Cidade da Dança”, mas não é isso que se vê diariamente. Quais projetos são cruciais para que a cidade possa retomar esses títulos?

Adriano - Na prioridade dos seis primeiros meses de governo, um dos projetos que farei questão de liderar pessoalmente é o embelezamento da cidade. Vamos motivar a comunidade para a recuperação de praças, jardins e espaços públicos. Todos nós queremos uma cidade bonita e mobilizaremos os voluntários para colaborar com a prefeitura nesse projeto no centro da cidade e nos bairros. O nosso programa de embelezamento da cidade terá política municipal de harmonização permanente da área urbana e rural, para manutenção dos espaços públicos e atrativos turísticos através de parcerias público/privada. Queremos redesenhar o programa Parceria Verde, para torná-lo mais atrativo para empresas patrocinadoras e definir uma política pública de arborização, replantar árvores em vias públicas e canteiros de avenidas, de preferência as floridas. Nosso plano de governo também contempla a criação do Palácio das Orquídeas para promover e incentivar essa tradição da cidade. Dessa forma criamos mais uma atração turística permanente e ajudamos a resgatar o significado de Cidade das Flores. A visibilidade como Capital Nacional da Dança estará integrada ao fomento das áreas de cultura e turismo. Precisamos conectar os clusters de turismo já existentes na cidade: rural, cultural e de negócios. A ideia é criar a quadra cultural interligado a cidadela cultural ao MAJ, Teatro Juarez Machado e cemitério do imigrante. Aliado a isso, conectar a quadra da dança abrangendo o Saltare Centro de Dança, Instituto Festival de Dança, Museu da Dança e Escola Bolshoi. Precisamos valorizar a vocação natural da cidade com a dança, apoiando a promoção de atividades o ano inteiro, não apenas no período do Festival de Dança ou de apresentações da Escola Bolshoi.

Agora Joinville - Com o impacto da pandemia, muitos joinvilenses perderam o emprego. Se eleito(a), qual a primeira decisão do governo para impulsionar a economia na cidade? 

Adriano - O projeto de desburocratização de processos é mais uma iniciativa que faço questão de liderar pessoalmente e estará na pauta de atividades dos primeiros seis meses de governo. Hoje, o Brasil ocupa 100 posições abaixo da Rússia no ranking de países em relação a liberdade para empreender. Para acabar com o excesso de burocracia, faremos um revogaço de leis, a exemplo do que já foi feito com sucesso em outras cidades, que reuniram associações, secretarias da prefeitura, legislativo municipal e Ministério Público para chegar as melhores fórmulas, facilitando a vida do cidadão e do empreendedor. Estudei esse case e é necessário criar leis, revogar as inadequadas, redesenhar códigos e digitalizar os processos. O resultado reflete no aumento de transparência, redução de corrupção, automatização de sistemas e velocidade na emissão de alvarás. O maior ganho será a transparência ativa que possibilita consultas de um modo simples e que todos entendem. Somente assim, Joinville atrairá empreendedores e empresas e voltará a gerar empregos na velocidade que precisamos.

Agora Joinville - Em julho de 2019 o secretário de Assistência Social de Joinville, Vagner Ferreira de Oliveira, estimou que existem em Joinville cerca de 800 pessoas em situação de rua na cidade. Como o(a) candidato(a) pretende acolhê-las? 

Adriano - Nós do partido NOVO sempre somos favoráveis a criar condições para a população se desenvolver e oferecer o suporte para que elas próprias consigam conquistar os seus objetivos. Nós vamos oferecer atendimento próximo às famílias e pessoas em vulnerabilidade social para que tenham condições de se desenvolver, visando a sua autonomia e superação dessa condição. No caso específico das pessoas em situação de rua é necessário que a assistência social do município entenda o problema, de onde vem as pessoas, por quais motivos e por quê saíram das suas cidades de origem. O ideal é criar as condições necessárias para que retornem ao seu núcleo familiar e local de origem. O que não podemos é permitir que elas estimulem a vinda de mais pessoas de outras cidades nessa condição. Nessa área vamos reativar e incentivar o protagonismo das entidades assistenciais da cidade que, por muito anos, promoveram um trabalho de destaque e atualmente foram esquecidas.

Agora Joinville - Há mais de 20 anos Joinville permanece com as mesmas empresas de transporte coletivo na cidade. O valor da passagem segue aumentando. O candidato(a) pretende abrir licitações para que novas empresas possam oferecer o serviço?

Adriano - Essa é uma demanda antiga de Joinville e o modelo do contrato precisa ser modernizado. Defendo um contrato específico para o transporte público, desvinculado do transporte para atender as empresas e o turismo. Além disso, criar alternativas de micro mobilidade entre os terminais e viabilizar opções de aplicativos, praticadas no mundo inteiro, para que o cidadão possa escolher a sua opção de transporte, aquele que melhor atende as suas necessidades e dentro do seu orçamento. 

Agora Joinville - Joinville tem atualmente 669 quilômetros sem nenhum tipo de pavimentação. Para o seu governo, a prioridade será a manutenção de ruas já asfaltadas ou pavimentação de novas ruas?

Adriano - Vamos criar uma gestão transparente para a pavimentação em todos os bairros e acabar com a interferência política. Disponibilizaremos na internet a lista de fornecedores, os valores referenciais do serviço por metro quadrado e o cronograma das obras. Com isso, aproximamos a população de quem fornece o serviço e o próprio cidadão fiscaliza a gestão das obras. Vamos melhorar também, o calçamento comunitário para agilizar e regularizar a parceria público-privada para pavimentação e aumentaremos o número de ruas a serem asfaltadas por meio da utilização do asfalto reciclado, que é um dos mais modernos e eficientes sistemas de pavimentação.

Agora Joinville - Alguns bairros de Joinville sofrem constantemente com a falta de água. Qual o projeto de governo do(a) candidato(a) para que essa não seja mais um realidade da cidade?

Adriano - Assim como as questões de saneamento básico, o problema da falta d’agua será solucionado com o mesmo projeto do marco do saneamento, ou seja, com a meta de universalização de serviços de água e esgoto. Abriremos uma consulta pública para a apresentação de projetos pela iniciativa privada de captação e distribuição de águas e tratamento de esgoto no município, através da concessão onerosa da Companhia Águas de Joinville. Precisamos de um serviço de qualidade para atender as demandas na velocidade a cidade precisa.

Agora Joinville - Nos nove primeiros meses deste ano o número de microempreendedores individuais (MEIs) aumentou cerca de 14% no país. Qual é o projeto de governo do(a) candidato(a) que pretende incentivar os MEIs de Joinville?

Adriano - O projeto de desburocratização que citei anteriormente se aplica a essa questão. Ao criar leis adequadas, revogar as inadequadas, redesenhar códigos e digitalizar os processos os microempreendedores individuais conseguirão abrir as empresas rapidamente. Dessa forma, avança a geração de renda, a garantia de contribuição para a previdência social e melhores condições de vida chegam a um número maior de pessoas.

Agora Joinville - O joinvilense tem muitas ressalvas a respeito de processos muito burocráticos na cidade, o que o(a) candidato(a) pretende fazer em relação a isso? Qual é a prioridade?

Adriano - Cabe nessa questão o que foi respondido em relação a atividades para impulsionar a economia, ou seja, o projeto de desburocratização de processos. Para acabar com o excesso de burocracia, faremos um revogaço de leis, a exemplo do que já foi feito com sucesso em outras cidades, que reuniram associações, secretarias da prefeitura, legislativo municipal e Ministério Público para chegar as melhores fórmulas, facilitando a vida do cidadão e do empreendedor. O case que estudei mostrou que é necessário criar leis, revogar as inadequadas, redesenhar códigos e digitalizar os processos. Dessa forma aumentamos a transparência, reduzimos a corrupção, automatizamos sistemas e ganhamos velocidade na emissão de alvarás. Somente assim, Joinville atrairá empreendedores e empresas e voltará a gerar empregos na velocidade que precisamos.

Agora Joinville - O estacionamento rotativo foi um projeto implementado durante o governo do atual prefeito, o(a) candidato(a) pretende fazer alguma manutenção?

Adriano - Faremos uma avaliação do funcionamento do serviço, ouviremos o comércio da região e, se houver necessidade, poderemos adicionar tecnologias a esse processo, minimizando a necessidade dos profissionais que podem assumir outros papéis na orientação do trânsito.

Agora Joinville - O mirante e o zoobotânico de Joinville são procurados para caminhadas e passeios, o(a) candidato(a) tem outro projeto para criar uma área de lazer para a população?

Adriano - Temos um projeto de viabilizar pela parceria público-privada a criação de atrativos de lazer no antigo Moinho adquirido pela FIESC, integrado a atual área ocupada pela Ciser e o parque linear as margens do Rio Cachoeira. Será uma opção de lazer para os joinvilenses frequentarem no fim de semana e mais um atrativo para turistas. Criar passeios públicos em vias nos bairros para a prática de atividades físicas ao ar livre, estimulando a mudança de hábitos da população pela saúde e qualidade de vida. Os projetos nessa área incluem também, a ressignificação do Parque da Cidade, integrado ao Sambaqui existente na região e ao passeio náutico ligado ao Portal do Mar. A conexão abrange ainda o ecoturismo, conectando o conjunto de atrativos da cidade ao hub de turismo do norte catarinense. Aproveitar as belezas naturais da Baía da Babitonga e criar o Viva Babitonga para tornar o destino uma referência para o turismo náutico, além de dar continuidade ao projeto Ilhas dos Espinheiros. Precisamos fomentar os segmentos turísticos com vocação clara: turismo de experiência, turismo rural, de natureza, cultural, cicloturismo, de negócios e eventos. Criar a via das cervejarias artesanais e produtos coloniais. Regular e desburocratizar o transporte turístico para garantir operações como CityTour e “Trenzinho Ecológico” para o mirante, entre outros pontos de atração. Se criamos atrativos com uma visão turística, o primeiro a usufruir será o cidadão de Joinville. Estou motivado com as mudanças que podemos promover em nossa cidade e devolver ao joinvilense o orgulho de viver aqui.

Agora Joinville - O que te diferencia dos demais candidatos? 

Adriano - Essa é a primeira eleição que eu vou concorrer. A motivação de ser candidato a prefeito veio da minha indignação de ver os rumos da política em Joinville e em todo o país, onde políticos legislam em causa própria, trabalham por privilégios de uma minoria, sem falar na corrupção cada vez mais evidente nas diferentes esferas da administração pública. Em conversa com a minha esposa Bianca, percebi que, para mudar o cenário é necessário que pessoas do bem, honestas e com princípios éticos participem da política. Isso me motivou a sair da zona de conforto, procurar um partido e entrar para a política. Escolhi o Partido NOVO pela aderência aos meus princípios e valores pessoais, participei do processo seletivo e fui aprovado para disputar as eleições municipais. Durante o último ano inteiro frequentei a Escola Renova Brasil, onde estudei políticas públicas, aprofundei o conhecimento em liderança pública, comunicação e os principais desafios para conduzir um município. As aulas, com os maiores especialistas do Brasil, me ensinaram o que todos os políticos deveriam saber e abrangeram temáticas de educação, saúde pública, segurança, gestão fiscal e desenvolvimento social. Essa escola tem o objetivo de preparar gente comprometida e realizadora a entrar na política, com o princípio de que a renovação política precisa de líderes preparados e eleitores conscientes. Além disso, a minha trajetória de líder na comunidade me diferencia. Em parceria com entidades de Joinville e Santa Catarina e dezenas de voluntários, liderei a criação da Central Solidária e mobilizei pessoas em todo o país para doação de roupas e alimentos, nas grandes enchentes de 2008 e 2011. O sucesso da operação resultou na criação da Força Empresarial para Emergências (FEE), uma ONG de atuação nacional onde sou presidente. Sou presidente do Instituto A Fonte da Alegria e liderei o movimento “Eu Abraço o São José” para arrecadação de recursos voltados a compra de equipamentos e melhorias na estrutura física do hospital. Em 2003, ingressei como voluntário no Corpo de Bombeiros Voluntários de Joinville. Já atuei na brigada de incêndio da corporação, foi coordenador dos bombeiros mirins e me formei em primeiros socorros. Já são 17 anos de voluntariado e até hoje faço plantão de socorrista na ambulância. No início da pandemia da covid-19, liderei o comitê de gestão da saúde pela ACIJ e atuei na busca de recursos para compras de EPIs para os profissionais de saúde, materiais para o centro de triagem, reforma de ala que estava desativada no Hospital São José para instalação de leitos de UTI, compra de respiradores, entre outras demandas.

Na publicação de amanhã (21), você verá as respostas da candidata Mayara Colzani (Psol).