Ivandro de Souza (Podemos) apresenta propostas para Joinville

O candidato é o último concorrente a responder as perguntas do Agora Joinville

Por Beatriz Kina 26/10/2020 - 10:58 hs
Foto: Foto: Divulgação/ Rodrigo Arsego

Com as eleições agendadas para o dia 15 de novembro e, em caso de segundo turno, dia 29 de novembro, o Agora Joinville abriu espaço para os candidatos à prefeitura de Joinville apresentarem propostas sobre temas de interesse público. 

Todos os 15 candidatos tiveram o mesmo tempo para responder todas as perguntas e, em respeito aos que responderam dentro do prazo, respostas encaminhadas depois da data final não serão consideradas. 

Foram 13 perguntas iguais feitas aos candidatos. Todos os dias uma matéria será publicada com as respostas de um(a) candidato(a) considerando a ordem de envio. 

Ontem (25), Eduardo Zimmermann (PTC) foi o décimo a responder a essa série de entrevistas. Hoje, Ivandro de Souza (Podemos) é quem responde. 

Agora Joinville - Nos últimos anos Joinville observa uma insatisfação recorrente por parte de professores da rede municipal de ensino devido a desvalorização desse profissional. Essa desvalorização resulta em greves anuais e acordos que não atendem às expectativas desses trabalhadores. Qual é o diferencial do plano de governo do(a) candidato(a) para a valorização desses servidores?

Ivandro de Souza (Podemos) - A Secretaria de Recursos Humanos de Joinville vai ter um novo papel, um papel de aperfeiçoar, treinar, aprimorar e colaborar com o servidor público, também da educação. Porque a visão é que essa secretaria possa contribuir, cooperar com os servidores públicos para que eles possam cuidar das 600 mil habitantes da nossa cidade. Então, a secretaria cuida dos 12 mil servidores que, por sua vez, vão atender a população nas mais diversas áreas, na educação, na segurança, no trânsito, na mobilidade, nas certidões, nos licenciamentos e assim por diante. Essa é uma ação. E depois tratar o servidor público com respeito, dando novamente um propósito de vida e de trabalho para ele. Ainda sobre a educação, vamos zerar a fila de vagas nos Centros de Educação Infantil (CEIs) por meio de unidades conveniadas; se uma criança custa R$ 800, vai ser pago R$ 800 e não R$ 600. Há possibilidade de construir CEIs com recursos do Fundo de Desenvolvimento e Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e vou acabar com a indicação política de diretores em escolas.

Agora Joinville - Hoje a cobertura e tratamento de esgoto chega a apenas 39% da cidade. Se eleito(a), até o final do mandato, a quantos % o(a) candidato(a) pretende expandir esse número? O que te faz acreditar que esta meta é possível? 

Ivandro - Obras de saneamento básico e melhoria no fornecimento de água são possíveis de serem executadas porque o dinheiro existe e entra todo mês no caixa do município. Sendo eleito, vamos avançar em 4% no saneamento básico a cada ano de governo, ou seja, em quatro anos serão 16% a mais em rede de coleta e tratamento de esgoto. Joinville não tem 1,5 mil quilômetros de tubulação de esgoto tratado. Para ter 95% do esgoto tubulado será preciso mais R$ 400 milhões para atingir esse percentual em 2033. Também vamos concluir algumas obras que deveriam ter sido finalizadas. A ampliação da Estação de Tratamento de Água (ETA) no Cubatão; os novos reservatórios de água na área central; a ampliação da ETE, no bairro Jarivatuba mais rede de coleta; o sistema de modernização da ETE do bairro Espinheiros; e as obras nos bairros Vila Nova e Paraíso. Sobre a água, diariamente a população de Joinville consome aproximadamente 100 mil metros cúbicos de água, mas há um percentual da população de aproximadamente 4% que não tem acesso regular ao fornecimento e isso precisa melhorar com investimento. 

Agora Joinville - Joinville é chamada de “Cidade das Flores” e “Cidade da Dança”, mas não é isso que se vê diariamente. Quais projetos são cruciais para que a cidade possa retomar esses títulos?

Ivandro - É necessário incentivar, motivar e colaborar, com as pessoas que, e por sua vez, com a cidade. Joinville precisa voltar a ter os espaços culturais revitalizados, visitados e que quando o turista ou cidadão frequentar essas áreas, elas estejam com infraestrutura adequada para receber a todos e também bonitas, bem cuidadas. Outra ação é que a Secretaria de Comunicação possa ser a unidade que comunique o turismo da cidade e não somente as ações de governo; essa secretaria precisa ter um protagonismo diferente, como promover a cultura, a área rural, o turismo. O joinvilense poderá a ter orgulho da própria cidade e os nossos títulos de “Cidade das Flores”, “Cidade da Dança”, “Cidade das Bicicletas” voltarão a fazer sentido.

Agora Joinville - Com o impacto da pandemia, muitos joinvilenses perderam o emprego. Se eleito(a), qual a primeira decisão do governo para impulsionar a economia na cidade? 

Ivandro - Entendo que a Joinville do futuro, para quatro ou dez anos, precisa estar preparada para suprir água, saneamento, mobilidade, saúde e emprego e renda para a sua população. E nada disso acontece sem que o município se desenvolva economicamente. Temos de destravar o setor de licenciamento ambiental em concomitância com liberação de alvarás e certidões. Também é necessário atrair um condomínio industrial na Zona Sul da cidade para que o trabalhador de Joinville não precise ir para Araquari ou atravessar a cidade inteira para trabalhar no condomínio da Zona Norte. No meu plano de trabalho as empresas que se instalarem em bairros com menor índice de desenvolvimento terão política fiscal diferenciada, como o ISS; isso vai incentivar a instalação de mais empresas em nossa cidade e em regiões que precisamos gerar mais emprego e renda. Outro fator importante é a exportação, porquê, com base nos dados do Ministério da Economia ocupamos a 45º posição em exportações no país, nossas empresas podem crescer nesse aspecto.

Agora Joinville - Em julho de 2019 o secretário de Assistência Social de Joinville, Vagner Ferreira de Oliveira, estimou que existem em Joinville cerca de 800 pessoas em situação de rua na cidade. Como o(a) candidato(a) pretende acolhê-las? 

Ivandro - Nós vamos criar a Secretaria de Articulação Social, que fará a integração com as demais pastas e precisa voltar o olhar humano àqueles que mais precisam, como os moradores de rua. Será a pasta que com apoio de outras, poderá auxiliar os bairros com menor índice de desenvolvimento em áreas básicas como saúde e saneamento. São 800 com documento em Joinville, mas esse número chega a quase quatro mil pessoas se contarmos àquelas que vêm de fora. Outro aspecto é que alguns bairros da cidade são dominados por facções, então é necessário formarmos uma grande força social, unindo as igrejas, os órgãos de segurança pública e as entidades de voluntariado para promover a inclusão social. Com os recursos da Caixa Econômica Federal podemos promover habitação popular, soou contrário a expulsar essas pessoas da cidade.

Agora Joinville - Há mais de 20 anos Joinville permanece com as mesmas empresas de transporte coletivo na cidade. O valor da passagem segue aumentando. O candidato(a) pretende abrir licitações para que novas empresas possam oferecer o serviço?

Ivandro - A Prefeitura de Joinville tem enrolado há anos a licitação do transporte coletivo. As pessoas que usam ônibus para trabalharem ou se deslocarem pela cidade pagam umas das passagens mais caras do país, resultado em parte, do monopólio das empresas que há anos detêm a concessão. Há questões judiciais que envolvem esse contrato e elas precisam ser resolvidas. Eu farei a licitação do transporte coletivo de Joinville e, isso não exclui o fato de as empresas atuais poderem participar. A queda no número de usuários do sistema, ou ainda, o aumento da circulação de veículos, está sim, relacionada ao valor do bilhete. É só comparar com o preço do litro da gasolina. Também entendo que é preciso interligar os terminais com bicicletários públicos, ter pontos de espera com condições de acessibilidade e boa estrutura para quem aguarda pelo ônibus.

Agora Joinville - Joinville tem atualmente 669 quilômetros sem nenhum tipo de pavimentação. Para o seu governo, a prioridade será a manutenção de ruas já asfaltadas ou pavimentação de novas ruas?

Ivandro - Somente na região Sul da cidade, 48% das ruas não são pavimentadas. Vou criar um novo programa de pavimentação comunitária com prestação abaixo de cem reais e maior número de parcelas. Hoje a população paga por mês parcelas com valores de R$ 300 reais, em dez vezes. E vinculada a pavimentação, mobilidade e demais áreas que precisam de projetos, vou reabrir a Fundação Instituto de Pesquisa e Planejamento para o Desenvolvimento Sustentável de Joinville (Ippuj). Neste setor irão trabalhar profissionais de engenharia, urbanismo e tecnologia, para sanar questões do hoje e pensar no amanhã, no futuro da cidade. 

Agora Joinville - Alguns bairros de Joinville sofrem constantemente com a falta de água. Qual o projeto de governo do(a) candidato(a) para que essa não seja mais um realidade da cidade?

Ivandro - O fornecimento de água e o tratamento de esgoto são realizados pela Companhia Águas de Joinville. Como expliquei na resposta do saneamento básico, obras são possíveis de serem executadas porque o dinheiro existe e entra todo mês no caixa do município. Todo dia a população consome aproximadamente 100 mil metros cúbicos de água, mas há um percentual de aproximadamente 4% que não tem acesso regular ao fornecimento. É preciso concluir a ampliação da Estação de Tratamento de Água (ETA) no Cubatão. Essa obra vai possibilitar 52 novos quilômetros de rede de fornecimento de água, porque 65% do abastecimento do município vem do rio Cubatão. Também é preciso findar os reservatórios no Centro e no Aventureiro e analisar tecnicamente as regiões em que se faz necessário mais reservatórios ou nova rede de distribuição.

Agora Joinville - Nos nove primeiros meses deste ano o número de microempreendedores individuais (MEIs) aumentou cerca de 14% no país. Qual é o projeto de governo do(a) candidato(a) que pretende incentivar os MEIs de Joinville?

Ivandro - Destravar o setor de licenciamento ambiental em concomitância com liberação de alvarás. Defendo a autodeclaração em licenças desde 2009, especificamente para algumas atividades e, obviamente, outras têm de cumprir a legislação com estudos ambientais mais complexos. Também vou criar um programa de incentivo tributário para as empresas se instalarem em bairros com menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Motivar a instalação de um condomínio industrial na região Sul para que o trabalhador que reside nos bairros da região Sul não precise atravessar a cidade para trabalhar na região Norte.

Agora Joinville - O joinvilense tem muitas ressalvas a respeito de processos muito burocráticos na cidade, o que o(a) candidato(a) pretende fazer em relação a isso? Qual é a prioridade?

Ivandro - Tornar Joinville uma cidade conectada por meio da tecnologia que pode ser usada no combate ao crime, na interligação dos prédios públicos como escolas, postos de saúde, hospitais e secretarias. Mas acredito que atualmente a questão da burocracia é uma reclamação mais acentuada na área de análise e liberação de licenciamentos ambientais e dos alvarás. Nesse aspecto, defendo a autodeclaração e, obviamente, outras têm de cumprir a legislação com estudos mais complexos.

Agora Joinville - O estacionamento rotativo foi um projeto implementado durante o governo do atual prefeito, o(a) candidato(a) pretende fazer alguma manutenção?

Ivandro - É preciso manter o sistema de estacionamento rotativo porque é um serviço essencial para o bom funcionamento do comércio e também oxigena o Centro da cidade. O que precisamos evoluir é no modelo usado e também discutir sobre a ampliação ou não para outras áreas da cidade. Vamos executar o “Zona Azul Digital”, há modelos parecidos e exitosos em cidades próximas como Jaraguá do Sul e São Bento do Sul.

Agora Joinville - O mirante e o zoobotânico de Joinville são procurados para caminhadas e passeios, o(a) candidato(a) tem outro projeto para criar uma área de lazer para a população?

Ivandro - Criar um parque linear que integre a região do surgimento de Joinville, entre a sede da Prefeitura ao antigo porto, no Bucarein. Serão 200 mil m2, com ciclovias, decks à beira do rio e a instalação de restaurantes, jardins e espaço cultural. Também é necessário ter um olhar especial para o Parque da Caieira voltado a contemplação, história e integração com a natureza. O Parque Morro do Finder merece um cuidado com as trilhas e uma nova área de contemplação, o local também foi bastante utilizado para quem gosta de esportes mais radicais como mountain bike e também escalada, devido as pedras no local. O Zoobotânico devido à alta procura nos fins de semana, exceto em tempos de pandemia, precisa ser melhor administrado. É preciso uma equipe maior cuidando desse parque até para que os visitantes tenham condições de uso de espaço de higiene, por exemplo. E o Mirante precisa de manutenção. Obra pública é como a nossa casa, não tendo manutenção, vai se deteriorando.

Agora Joinville - O que te diferencia dos demais candidatos? 

Ivandro - Eu desejo de coração ser prefeito de Joinville para contribuir com a cidade. Não almejo outra função política, estou muito afim desse projeto, desse desafio. Eu me preparei para isso, tenho 50 anos, sou construtor, conheço de obras. A cidade está abandonada, largada, sem uma liderança e eu estou à disposição. A população ao entender que Joinville precisa de um projeto de desenvolvimento, de crescimento e de ruptura com o atraso, uma ruptura não com pessoas, mas com sistemas e mecanismos que impedem o nosso desenvolvimento, devem acreditar no Ivandro e na Angélica, o 19. A Angélica Ponciano, minha vice, vai trabalhar comigo promovendo o desenvolvimento social. Eu vou trabalhar promovendo o desenvolvimento econômico. Com a junção haverá crescimento e desenvolvimento para a nossa cidade. E para isso acontecer, tem que apertar o 19 na urna.